INTRODUÇÃO BIBLIOGRAFIA AGRADECIMENTOS
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 
 

INFORMAÇÕES:

VEADO-MATEIRO-PEQUENO - jovem
Mazama bororo

Classe: Mammalia
Ordem: Artiodactyla
Família: Cervidae
Subfamília: Odocoileinae

Foto gentilmente cedida pelo Sgt Mauro Augusto da Silva da Polícia Ambiental de Joinville.
Local: Quintal de residência - próximo ao Shopping Bavária - BR-101 - Pirabeiraba - Joinville - Santa Catarina
Data: 18/10/2013
 
Este veado da espécie Mazama bororo ameaçado de extinção foi perseguido por cães e buscou refúgio 
no quintal de uma residência às margens da BR-101, próximo ao Shopping Bavária, Pirabeiraba - Joinville, Santa Catarina. O morador acionou a Polícia Ambiental de Joinville que fez o resgate e imediatamente realizou a soltura nas proximidades, em um local seguro, no meio da mata na Serra do Mar. 

Ameaças

É uma das espécies de veado com maiores riscos de extinção. A perda e a fragmentação do hábitat devido ao desmatamento, a presença de cães domésticos nos últimos fragmentos de Mata Atlântica e a caça são as ameaças mais importantes. Atualmente a espécie é considerada como Vulnerável (VU) na lista mundial (IUCN, 2008) e na lista de espécies ameaçadas do estado de São Paulo, e como dado deficiente (DD) no Livro Vermelho (2008) da lista estadual do Paraná

Características
Apresenta um peso médio de 25 kg e altura de cerca de 50 cm. Sua coloração geral é avermelhada, com a lateral do pescoço cinza claro e mais escuro na porção dorsal. Possui manchas brancas características na base da orelha, na ponta da maxila, da ponta da mandíbula até o terço anterior ventral do pescoço, entre os membros posteriores, região ventral da cauda e ainda no terço posterior do pescoço. Apresenta uma coloração enegrecida na região do calcâneo, que se estende até os cascos através de um filete na porção posterior do metatarso. Assim como as demais espécies do gênero Mazama, apresentam a porção anterior do corpo ligeiramente mais baixa que a posterior e a presença de chifres pequenos e não ramificados nos machos, características morfológicas que se constituem em adaptações à vida em ambientes de mata fechada (vegetação densa). 

Alimentação
É um animal herbívoro, isto é, alimenta-se de várias espécies de vegetais, tais como: plantas jovens de palmito, guaricana, coqueiro-jerivá e folhas de embaúba; raízes e frutos como por exemplo do palmito.
É um disseminador ocasional, regurgitando as sementes do palmito durante as horas que passa a ruminar. Essas sementes poderão, portanto, ter um destino muito distante da planta mãe, o que é muito importante do ponto de vista ecológico.

Distribuição geográfica
Distribuição restrita aos remanescentes florestais da Mata Atlântica presentes na região sul de São Paulo e leste do Paraná, podendo se estender até o leste catarinense, constituído principalmente pelas Mata Atlântica densa da Serra do Mar (Floresta Ombrófila Densa) e áreas de transição com as Matas de Araucárias e as Florestas Úmidas do interior do Paraná. 


Agradecemos ao Prof. Dr. Jose Mauricio Barbanti Duarte, do Departamento de Zootecnia da UNESP de Jaboticabal (SP) pela identificação da espécie. O Prof. José Maurício, geneticista, foi quem descobriu esta espécie.


 
  • fepema
  • weg
  • frbl
  • johnsonejohnson
  • bvs&a
  • governo_sc
  • avina
  • brazil_foundation
  • portal_social
  • celesc
  • prefeitura_jaragua
  • fujama
  • Doacao Donate