INTRODUÇÃO BIBLIOGRAFIA AGRADECIMENTOS
 
 
 

VER GALERIA DE FOTOS

 
 

INFORMAÇÕES:

GATO-MOURISCO ou JAGUARUNDI 
Puma yagouaroundi (Geoffroy, 1803)

Outros nomes populares: gato-preto, maracajá-preto 

Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Felidae
Subfamília: Felinae

Sinônimos: Herpailurus yagouaroundi, Puma yaguarondi, Felis yagouaroundi

Foto: Câmera de trilha - Bushnell modelo 119440
Local: RPPN Corredeiras do Rio Itajaí, Itaiópolis – Santa Catarina
Data: 19/08/2013   - Horário: 08h13min 

Ameaças

Estudos científicos recentes revelam que a espécie tornou-se muito rara e a destruição de hábitats é a principal causa de ameaça de extinção (Caso et al. 2008). A perda de habitats tem um impacto negativo sobre a sua probabilidade de ocorrência (Michalski & Peres 2005). Além disso, o pouco conhecimento sobre a biologia desta espécie limita a possibilidade de estratégias de conservação eficazes. É uma das espécies de felinos com maior deficiência de dados, tanto relacionados com a biologia da espécie e padrão de distribuição geográfica, quanto com a sua atual situação de densidade populacional (Sunquist & Sunquist, 2002) .

Listas vermelhas estaduais:
Minas Gerais: Presumidamente ameaçada de extinção
Rio Grande do Sul: Vulnerável
Paraná: Deficiência de dados 
São Paulo: Deficiência de dados

Características
Possui cerca de 60 cm de comprimento de corpo, 45 cm de cauda e pesa de 6 a 9 Kg.

Habitat
Habita áreas de mata primária, secundária e capoeirões, de preferência na mata ciliar dos rios, lagos e banhados.

Reprodução
A fêmea atinge a maturidade sexual por volta dos 3 anos de idade e tem uma ninhada de 2 a 4 filhotes. O período de gestação é de 63 a 75 dias. Os filhotes recém nascidos apresentam pequenas manchas espalhadas pelo corpo, mas logo desaparecem. Numa ninhada podem ocorrer três padrões de coloração encontrados nos adultos. A mãe amamenta os filhotes por até um mês.

Alimentação
O gato-mourisco alimenta-se de roedores, lebres, macacos, cotias, quatis e até pequenos veados. Sua dieta inclui também de aves, répteis, anfíbios e peixes.

Hábitos
Como costuma ser ativo durante o dia é um dos gatos mais comumente visualizados, no entanto, não é abundante em nenhum lugar (Caso et al. 2008). Costuma se refugiar em troncos ocos, tocas e grutas ou por entre a vegetação. Sabe nadar bem e subir em árvores. Costuma andar sozinho, podendo ser visto aos casais somente durante a época de reprodução, comportamento típico dos felinos.

Distribuição geográfica
Ocorre em todo o Brasil. No Texas (provavelmente extinta) e Arizona, Estados Unidos, onde é muito rara, até o sul da Argentina (Patagônia), com exceção do Chile e Uruguai.

Taxonomia e evolução
De acordo com um estudo do genoma dos felídeos feito em 2006, um ancestral dos actuais géneros de felídeos Leopardus, Lynx, Puma, Felis e Prionailurus migrou através do Estreito de Bering para a América entre 8 e 8,55 milhões de anos atrás. Estudos indicam que o puma e o jaguarundi são mais aparentados com a chita. Tem-se sugerido que a chita deriva desse mesmo ancestral mas voltou a migrar para a Ásia e África. Outra teoria é que a chita evoluiu ainda no Velho Mundo. 

Referências
Caso, A., Lopez-Gonzalez, C., Payan, E., Eizirik, E., de Oliveira, T., Leite-Pitman, R., Kelly, M., & Valderrama, C. (2008). Puma yagouaroundi. In: IUCN 2010. IUCN Red List of Threatened Species. Version 2010.2.

Michalski, F., & Peres, C. A. (2005). Anthropogenic determinants of primate and carnivore local extinctions in a fragmented forest landscape of southern Amazonia. Biological Conservation, 124, 383-396.

Sunquist, M.; Sunquist, F. 2002. Wild Cats of the World. University of Chicago Press. 1st Editon.



 
  • fepema
  • weg
  • frbl
  • johnsonejohnson
  • bvs&a
  • governo_sc
  • avina
  • instituto_hsbc
  • portal_social
  • celesc
  • prefeitura_jaragua
  • fujama
  • Doacao Donate